Miradouros

Miradouros 

-Etelvina Sousa Ferreira

Neste miradouro nosso olhar num só

Contemplando o brilho do rio ao passar.

Os barcos e as gentes que nele navegam

Nem sequer adivinham o que ali vai no ar.

 

A tarde outonal e os raios do sol

Perfuram as folhas e os ramos pendentes.

O vento que as leva nosso amor carrega,

Espalhando-as em volta, naquelas vertentes.

 

Lá em frente, ao longe, outro miradouro

Transporta connosco momentos passados.

Nosso olhar atrai puxando lembranças

E damos as mãos, dois apaixonados!

 

De um lado para o outro nosso olhar baloiça,

Pelas curvas do rio e na água a brilhar.

E tu mesmo ao lado, meu amor de sempre,

Como a vida é doce! Como é bom amar!

 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *